Desperte o homem que existe em você!




Há pouco mais de trinta anos o "macho homosapiens" está no paredão. Atacado e desprezado como o causador de todos os males do mundo e o responsável de todos os problemas das ditas minorias. Nesses trinta anos ele se viu transformado de exemplo em vilão. Ser um homem, macho, firme e forte passou a ser exemplo de algo a ser combatido pela esquerda raivosa, pelos grupos de defesa dos animais, pelos grupos de feministas e pelas professoras primárias. Em trinta anos ele deixou de ser o super-herói para ser o pior dos vilões. Ele foi obrigado a ouvir, ler, ver na televisão, que ele é desnecessário. Quase um estorvo.

E o que fez o homem nesse período? Atacado por todos os lados ele aos poucos foi se retraindo, buscando uma nova posição nessa sociedade que o rejeitava. Esses anos de ferro em que os ideais masculinos foram massacrados não sem motivos, coincidem com o período em que a sociedade se tornou mais cínica, mais egoísta e talvez até mais covarde.
Com medo de serem agredidos os homens das décadas de 70, 80 e 90 do século passado e dessa primeira década do século XXI (21) abriram mão de ser exemplo para seus filhos. Conceitos como hombridade, honestidade, respeito, masculinidade e honra, todos eles partem do ideário masculino, foram aos poucos sendo esquecidos e rejeitados. O que vemos é uma geração de homens que chegaram aos trinta anos como se ainda fossem adolescentes. É uma geração de moleques e não de homens. Moleques fazem filhos e não reconhecem. Moleques atropelam e fogem. Moleques não amam a não ser a si mesmos (ou talvez nem isso).


E onde entra o relacionamento nisso tudo? Bem, as mulheres estão cada dia mais percebendo o quanto ter um homem de verdade ao seu lado faz diferença e elas estão ficando mais infelizes com essa situação. Elas desejam ter um homem ao ado, alguém que tenha responsabilidade, que tome a frente numa hora de dificuldade e resolva os problemas junto. Elas desejam um amante que a satisfaça e que se preocupe também com seu prazer. Com um homem que lute para ser o mais forte em tudo o que faz e que queira ser um vencedor e não alguém que aceita a mediocridade e se conforma em não ser nada. A mulher deseja um homem e não um moleque. Essa é a verdade
Então, mais do que nunca, está na hora de os homens começarem a resgatar os valores masculinos e, com honra, coragem e virilidade buscarem vencer a luta da vida. Serem os melhores, os mais fortes e os mais bem sucedidos. Está na hora de ensinarmos aos nossos filhos que um homem deve ter orgulho de quem é. Está na hora de dizermos às nossas crianças que elas têm que ser fortes e buscar o sucesso e que esse sucesso elas vão alcançar com suor e esforço e que isso é o que faz um homem ser respeitado.

E vamos falar de sexo?

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epilépticos.
Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval
Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade 
Amor é um - Sexo é dois 
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

(Rita Lee)
 

Sexo. Oh, coisa boa.
Mas a vida não é só brincadeira. Sexo é a parte divertida do amor, mas se o relacionamento não está bom, você acha que sexo salva? NEGATIVO
Não se pode brincar a vida toda.
Sexo "tem que ser" o complemento perfeito de uma relação amorosa entre homens e mulheres.
E por mais que nos dias de hoje, as pessoas achem que fazer sexo é como chupar uma bala, enganam-se. Sexo é como um ritual sagrado, só facilitamos os trâmites da cerimônia.
No fundo, a cada relação sexual, seja com pessoas descompromissadas ou com relações estáveis, estão ali misturados sentimentos instintivos, de posse, de apego, de ódio, de amor, etc...
Cada relação, mesmo a furtiva, tem uma necessidade de complementar sentimentos íntimos de cada um.
Não se engane com pessoas que dizem que nada procuram. Procuram sim. E muitas vezes, o sexo é usado como última esperança desta procura.
Então, junto ao amor e relacionamentos, está seção vai tentar chegar até você, explicando como uma necessidade fisiológica tão ancestral, pode influenciar de forma tão intensa, um relacionamento afetivo. Ou uma tentativa de se chegar a um.
Ou, como um relacionamento pode ser afetado com a falta dele.


Quer conhecer a Disney?

Bom galera, concerteza você tem aqula vontade, curiosidade, desejo de conhecer a Disney!
Quem não tem né?

Bom, nós, do Take a Toke resolvemos realizar um dos desejos de vocês disponibilizando em nosso blog essa oportunidade incrivel e única. Coisa que nenhum outro blog já fez até hoje.
Quer ter essa sensação?

Desça a página e veja detalhes
















Ta ai galera, apresento a vocês Disney Landia !

Te pegamos né haushsuahsa

Dica literária - A História de O


O livro foi lançado em 1954 pela escritora, jornalista e ensaísta francesa Anne Desclos, sob o pseudônimo de Pauline Réage, 
A História de O narra a escravidão consentida de O, uma jovem fotografa francesa, que por amor ao seu amante se submeteu a torturas, humilhação, escravidão e à submissão absoluta ao se deixar internar por um período de tempo em um castelo nos arredores de Paris e ali ser seviciada e torturada.
Ao contrário do que o pensamento, O jamais se revoltou contra as chicotadas e humilhações que sofreu. Ela as aceitava como uma demonstração do amor de René, seu amante, e depois de Sir Stephen, o nobre inglês para quem seu amante a dá de presente. Mesmo após sair do castelo e retornar à vida livre e normal, O continua a aceitar a condição de escrava desses homens. Essa é a principal característica de O, a aceitação. A vontade de se submeter, e a forma quase ritualística com que ela é possuída por seus algozes, faz perceber que a jovem não apenas aceita aquela situação, mas também a deseja e concorda com ela. É o prazer na submissão.
Marco da literatura erótica e sado-masoquista, A história de O levanta a questão de como a personalidade de uma pessoa pode ser distorcida e mesmo deturpada, a ponto de ir contra o instinto básico da autopreservação, e aceitar passivamente a dor e o flagelo como formas de prazer.
O livro foi um estrondoso sucesso editorial, acima de tudo por expor de forma franca e direta, mas ao mesmo tempo sem ser em momento algum vulgar, a alma e a dor dessa jovem e, mais que tudo, por, pela primeira vez desde As memórias do Marquês de Sade, tratar o sado-masoquismo sem rodeios e, quase, sem julgamentos.
Ao acompanhar a sua descida ao fundo do poço, percebemos o quão vasta e cheia de meandros pode ser a mente humana, capaz de extrair prazer até mesmo de uma forma tão deturpada de amor. A História de O é mais que apenas um marco da literatura mundial. É também uma fonte de reflexão e, de certa forma, um alerta para que nunca deixemos a nossa auto-estima ser solapada pela vontade deturpada de outros. Mesmo daqueles que dizem nos ama.

Surpreenda-se com Van Canto


Se você, está acostumado com aquele Heavy Metal, pesado com bastante, Guif’s de guitarra, com teclados, e baixos, vai se surpreender com a banda alemã Van Canto.
Composta por 6 integrantes sendo 5 vocalistas e um baterista e só. Isso mesmo, não existem guitarristas, tecladistas ou algo do tipo.  Eles não usam nenhum tipo de instrumentos, a não ser a bateria e o teclado, que é usado somente para servir de base na composição de algumas canções!
 Todo o som da banda é emitido pelos 5 vocalistas muito bem alinhados e bem organizados. Philip Dennis Schunke e Inga Scharf são os 2 vocais principais, enquanto os sons dos instrumentos são feitos por Stefan Schmidt e Ross Thompson os "guitarristas". E Ingo Sterzinger o "baixista". Em algumas das musicas Stefan chega a fazer solos em algumas canções. Incrível.








(Cover Angra)

Biografia:

Van Canto é considerada uma banda de Heavy/Power Metal ou hero-metal a capella.
Seu primeiro álbum foi lançado em 2006 com sete músicas originais e dois covers, e uma delas era "Battery" do Metallica.
Dois anos após eles lançaram Hero, seu segundo álbum contou com cinco faixas covers e cinco originais.
A banda já passou aqui pelo Brasil em uma turnê realizada em 2008. 
No ano de 2009, foi lançado seu terceiro álbum batizado de  “Tribe of Force” que é composto por 13 faixas sendo duas delas covers do Metallica e do Graver Digger.
A mais nova noticia da banda é a participação da ex-vocalista do Nightwish Tarja Turnen no novo álbum, mas nada confirmado ainda.

     Enquanto isso, os fãs permanecem no aguardo.


(Elaborado por Victor Souza)