The mission

Escolhemos viver e escolhemos passar tudo que passamos.
Fugir dessas escolhas é não querer enfrentar a missão proposta por você mesmo.
Cada dia que passa somos testados em  nossas fraquezas.
Saber resistir e seguir fielmente nossa missão é um fardo muito pesado.
Mas que temos levar com compaixão e um sorriso no rosto.
Temos que  agradecer a cada segundo cada dificuldade e problema.
Neles é que nos tornamos pessoas mais preparadas.
Imagine uma vida sem problemas.
Você de eternas férias no planeta terra.
Sem projetar ou produzir algo.
Apenas divertindo e boiando na corrente...
Você cresce e morre sem ter feito nada de útil.
Sem contribuir em nada no mundo em que vivemos.
Querendo apenas alimentar seu umbigo ou diminuir sua dor.
Não importando com que está em sua volta.
No mundo que está em sua volta.
Apenas com o que conquista, com seus "brinquedos" tecnológicos ou de carne e osso...
O engraçado é que isso não é sinônimo de felicidade.
Aliás isso pode ser sinônimo de abismo.
Quanto mais se tem, mais se afunda...
O fundo do abismo é frio e escuro.
Não escolha ir pra lá.
A luz chega em qualquer lugar.
Mas lá ela é um feixe fraco.
Difícil de enxergar.

Velhos tempos... Atuais tempos... Tempos

Quando eu era criança, tinha uma televisãozinha da Xuxa (eu não gostava da Xuxa, mas ganhei a TV pq tinha nas cores roxo e rosa) preto e branco em 14 polegadas.
Nela eu via o mundo.
E só depois de um tempo entendi porque gostava.
Nessa época todas as minhas poucas colegas gostavam de desenhar.
Sempre fui mais de escrever.
Escrevia poeminhas, cartinhas, diários e bolava histórias.
Talvez fosse uma fuga pela minha dificuldade com as cores.
Sempre tirava "zero" e ainda pequena não entendia o porquê que o meu azul era diferente do azul das outras pessoas.
Ser a "rapa do tacho" como se diz no interior da cidade onde cresci, tem suas vantagens e desvantagens.
Cresci cercada de gente porém sozinha! Sempre fui a mais nova e a ultima a ser escolhida nos jogos. Ao mesmo tempo que eu era sozinha, a necessidade de ser sozinha me fez caminhar para a criatividade.
Criatividade que às vezes incomoda à todos em volta.
Nem sempre todo mundo tem clima para minhas piadas sempre sem graça.
E outros tantos, senão muitos, não sabem que o mais engraçado está na ousadia da sem-graceza.
Sempre disse que devemos viver ao invés de sobreviver...
É nosso papel.
Quem sabe sou apenas um saquinho de sopa de letrinhas escanteado e esquecido, fora da validade, numa gôndula de supermercado... Cheio de indiretas.
Indiretas que teimam ser diretas.
Como não diretas, por ser indiretas, são indiretas quase diretas.
Tentei entrar para o jornalismo para mudar o mundo, fiz 1 ano e 6 meses.
Depois desisti. Não por ser difícil, mas 1º por nunca terminar algo que começo e 2º por não concordar com muita coisa no mundo.
Mas não concordar, cada vez mais é fazer...
Às redes sociais criaram falsos mártires...
Hoje todo mundo brinca de ser Fidel, Napoleão ou Tiradentes com 140 caracteres...
Outros tantos teimam em ser Madre Terezas com fotos no Facebook e declarações de amor para sabe lá quem...
Tudo na superficialidade e comodidade do de trás da tela...
A tela que separa o mundo virtual do real, engessa a atitude.
Criamos revoluções passageiras por minutos e num prazo de três dias esquecemos.
Nosso ritmo atual é para isso.
A urgência que nos leva pela mão, nos faz esquecer de quem somos, de nossa essência.
A mesma urgência em muitos, nem possibilita a criação dessa essência.
O século da tecnologia se transforma no século da falta de essência.
Cada pessoa deveria ter sua fragrância.
A maioria das pessoas hoje em dia procura sua essência em revistas e internet e até em outras pessoas...
Essências Instantâneas.
Em um mundo de falsas intenções com diversos atores, decorando um texto pré-moldado.
Pra seguir as correntes que levam para um oceano sem fim...
Diversas ilhas isoladas lutando por seu coqueiro, pelo lugar ao Sol...
Mesmo sabendo que o Sol não se toca.
E que a ilusão que criaram, hoje te move, te ilude...
Seres instantâneos de ilusão.
Cada vez mais cegos e iguais...
Sem essência.
Mas com ponto final.

É amigo mesmo ou não passa de um colega???

Muito cuidado com quem você chama de amigo.
Em épocas da síndrome "NISSIN MIOJO", onde tudo é rápido e descartável a amizade também é afetada.
É comum hoje em dia pessoas que pouco se conhecem, serem "amigas".
A fulano é meu amigo, ciclano também.
Às vezes conversam umas três vezes, e alguém sai falando: "Ah, é meu amigo!"
A maioria desses amigos artificiais que você cria, muitas vezes nem tem culpa de uma possível desavença.
Então tome muito cuidado ao intitular alguém como amigo.
Um amigo é sagrado.
É um irmão que se escolhe.
Amigos em grande quantidade não existem.
Os verdadeiros amigos contamos nos dedos.
A amizade não é feita apenas com coisas boas.
Conhecemos nossos verdadeiros amigos nas piores horas.
Quando você não tem chão, nem força pra levantar.
O verdadeiro amigo está ali, lhe dando a mão.
Quando estamos no "auge", "notáveis" muitos são seus amigos.
Ou querem ser por algum interesse.
São iguais a vampiros querendo sugar o sucesso alheio.
E quando você não está mais lá em cima, fingem que não te conhecem e nem ao menos lhe cumprimentam.
Amigo é aquele da riqueza e da pobreza, da saúde e da doença...
É aquele que escolheu estar ao seu lado seja lá o que aconteça.
Esta humilde "escritora" em seu humilde BLOG, pede licença para evocar um nobre poeta.
Que amou cada segundo de sua vida, e um dia falou sobre amizade.
Nos deixando uma grande lição:

"Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos... 

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido... Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre... 

Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe... nos e-mails trocados... 

Podemos nos telefonar... conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo... 

Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!!! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida! 

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos... 

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado... E nos perderemos no tempo... 

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... 

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!"



Vinícius de Moraes

Todo amor que houver nessa vida - De Roberto Frejat e Cazuza por Cassia Eller



Essa música me leva a ressaltar alguns pontos.
É linda? Sim, tem uma ótima letra, mas vale a pena você querer ser o centro de tudo para alguém?
Aprendi que devemos cativar as pessoas da forma que somos e que assim como nós não devemos depender delas, elas também não devem depender de nós.
Mas a paixão é realmente algo bom, e em alguns casos, essa situação de dependência acaba acontecendo mesmo.
Devemos sim nos apaixonar, amar e querer alguém e o bem de alguém, mas não acho que devemos viver na dependência. Devemos ser o amor de alguém, aquela pessoa que alguém pensa em momentos felizes e nos procura em momentos tristes, mas não devemos nos tornar a vida de ninguém...


O que te faz feliz?

Não sei vocês,mas não creio que a felicidade seja algo que se alcança e uma vez alcançada ela se estabeleça pra sempre.
Não estamos no mundo imaginário de Walt Disney!
Acredito na não-objetivação da felicidade.
Não existe um pacotinho escrito 'felicidade' que você acha depois do arco-íris ou numa sacolinha surpresa de uma festa junina.
Acho que a pergunta 'você é feliz?' é um tanto quanto utópica.
E uma vez que perguntamos 'você está triste' ao invés de 'você é triste',a pergunta 'você é feliz' não faz sentido.Pelo menos pra mim.
Porque,pensa comigo: ninguém é feliz a todo momento, é calúnia dizer que sim. Num só dia podemos passar do choro para o riso num piscar de olhos. No teatro foi onde eu mais aprendi isso ...
Acredito que existam sim momentos de felicidade,assim como os momentos de tristeza,e acho que de certo modo,quando as pessoas dizem que estão à procura da felicidade, elas queiram dizer: quero mais momentos felizes do que momentos tristes.
Mas sei lá,é meio difícil. É tudo muito complexo.
Meu ponto de vista é: não, não sou feliz. Até porque o verbo 'ser' implica num estado imutável, como 'sou menina'.Se bem que hoje dá pra mudar até isso, mas enfim....vocês entenderam.
Sim,eu estou feliz. Assim como também estou muitas coisas ao mesmo tempo. Estou cansada, com sono, com preguiça, com fome
No entanto eu digo 'sou apaixonada' ao invés de 'estou apaixonada'. Porque o verbo 'estar' soa para mim como algo passageiro... (Antes de mais nada, não estou namorando e nem me envolvendo com alguém)


O QUE ME FAZ FELIZ?
- minha família almoçando junta
- comer sorvete
- Alan Michel Castro de Oliveira 
- ver meu cachorro pulando em mim quando chego em casa
- receber um elogio
- viajar
- ouvir uma música bem alta
- Rayane
- Fazer algo que agrade a alguém
- um abraço bem apertado, daqueles que atrofiam o pulmão
- ver o sol nascendo (além de me deixar feliz, me emociona)
- conquistar novas amizades
- ter um pedido de desculpas aceito
- Receber aquelas mensagens inesperadas
- Ver um filme ao lado de boas amizades
- Ver que a planta que eu plantei está crescendo e ficando mais linda a cada dia
- Receber um convite inusitado de alguém me chamando para bater perna em qualquer lugar
- Estar ao lado de pessoas agradáveis
- Dar presentes
- E mais um monte de coisas em momentos distintos...

Pense naquilo que te faça feliz por alguns momentos ou continue achando que a felicidade é algo que se alcança e ponto final e passe sua vida sendo um infeliz e não aproveitando todos os momentos dela.

Meu bem...Meu mal

Ele é meu caminho
Meu vinho, meu vício
Desde o início estava ele

Meu bálsamo benígno
Meu signo, meu guru
Porto seguro onde eu voltei

Meu mar e minha mãe
Meu medo e meu champagne
Visão do espaço sideral

Onde o que eu sou se afoga
Meu fumo e minha yoga
Ele é minha droga
Paixão e carnaval

Meu zem.. Meu bem.. Meu mal...

(Readaptação da música de Caetano Veloso)

E se hoje fosse o seu último dia...?

São poucas as músicas da banda Nickelback que me agradam.
Mas dentres essas poucas, uma sempre meche com meu pensamento
"If today was your last day", que aportuguesando fica"Se hoje fosse seu ultimo dia".


A tradução da música é bastante reflexiva e vale a pena dar uma conferida.
Apesar de achar Nickelback uma banda um tanto quanto romantica demais, nessa musica eles foram a um padrão diferente do amor perdido ou da vida sofrida.

Tentei não ser eu por um dia... Não deu certo!

Confesso que tenho uma mente um tanto quanto não evoluida.
Um modo de pensar um pouco peculiar.
Uma lado sensivel que é sensivel demais.
Um lado sentimental que também é em excesso.
Sou o tipo de pessoa que não guardo rancor.
O tipo de pessoa que raramente diz não, mas quando diz, é NÃO MESMO.
É complexo você se achar intimo de uma pessoa e ela te deixar sozinha as vezes.
Mas aprendi que não posso esperar das pessoas atitudes ou gestos que eu teria.
Como publiquei a um tempinho atrás, aprendi a não viver na sombra de ninguém!
Queria muito ser fria e nem um pouco sentimental como algumas pessoas que eu conheço.

Confesso que admiro isso, pessoas que vestem uma armadura e não demostram sentimentos a fim de evitar possíveis decepções futuras.
Tentei fazer isso algumas vezes... Não deu certo.
Tentei não me apegar em demasia... Não deu certo.
Tentei não me entregar a certos desejos... Não deu certo.
Tentei não valorizar tanto alguém... Não deu certo.
Tentei não fazer da pessoa algo essencial no meu dia a dia... Não deu certo.
Tentei não correr atrás e não procurar... Não deu certo.
Tentei não ser eu por um dia... Não deu certo!


Vos declaro marido e mulher...


Não, eu não casei! E me atrevo a falar de casamento e relacionamento não sei por que. Como se eu fosse uma espécie de padre - tá certo que padre casa - mas não é a mesma coisa, padre “casa com Deus” e não com mulher ou homem… Deus não é tão mesquinho e nem gosta de tantos mimos como nós. Mas os padres adoram “dar pitacos” na vida do casal, e fazer seu papel de conciliador e defensor eterno da família - um gesto bonito.
Ontem conversando com um "amigo" que não via a muito tempo, chegamos ao assunto em que ele estava reclamando do casamento dele.
Tá, e eu? Eu quase casei uma vez, tinha planos... E outra vez, tinham planos pra casar comigo e eu esquivei.
 Não julgo se é ruim ou bom, mas sei que devemos casar com quem amamos - isso é uma certeza.
Só o amor segura certas coisas: rotina, compras, mau-humor, vontades, contas, pressa, desejos, solidão a dois, falta de sexo e tudo mais. Se viver sozinho é difícil, imagina como dois. Por que também não rola casar e falar a celebre frase: _ Nossa quando a gente namorava você não era assim.
Minha cara e meu caro, ou foi namoro de menos ou teatro demais.
Casar não é dividir escovas, até porque isso é falta de higiene no meu ponto de vista.
Casar é dividir tempo, atenção, conquistas... É trabalhar em equipe, crescer junto. Parece papo de psicóloga solteirona que nunca casou e mora em uma casa cheia de gatos siameses, mais é isso mesmo.
Tem tanta gente que sobrevive e não vive, é a mesma coisa! Papel no cartório não é sinônimo de felicidade a dois.
Eu por exemplo, já tentei casar com time de futebol, instrumentos (uma gaita), livros, filmes, bares que eu gosto (tipo o Soccer Beer na 25 de Agosto)... Mas não dá certo! A fidelidade e a rotina nesses casos é um tédio, e eu tenho aversão a rotina.
Pra que ler o mesmo livro se há vários na estante?
Tocar o mesmo instrumento e sempre ter o mesmo som?
Ir ao mesmo bar sempre e ver as mesmas caras se o Rio de Janeiro é cheio de bares?
Tá, para os citados acima escolhi ser amante, um lance menos formal despretensioso e proveitoso.
Já sou casada comigo, isso é o mais importante!
Então tenho que arrumar alguém que queira casar comigo e comigo mesmo, só assim dá certo.
Eita, que equação complexa!
Se não arrumar, solteirA não vou ficar. Tenho eu mesmo.
Se você é casado (a) e feliz, lute pelo casamento.
Se for infeliz, descase!
Se quiser casar, case!
Se quiser ficar solteiro (a) lembre-se que é casado (a) com você mesmo e que você sempre está em crise.
Se não se encaixou em nenhuma das opções anteriores ou não concorda com o texto, escreva outro e case com as palavras, à noite poderão jantar sopa de letrinhas e fazer um sexo maravilhoso logo em seguida ;)

“Duas pessoas, são duas verdades... Na verdade são dois mundos”.

Um divã público? Uma vitrine? Um palco? Um Jornalzinho de ofertas? Um pocket show de 140 caracteres?  O que seria o Twitter?
Talvez tudo isso, talvez nada disso, talvez tudo “junto e misturado” (programa do vascaíno sangue bom e gente fina, Bruno Mazzeo).
Tem gente que leva o Twitter a sério, tem gente que escracha! Tem gente que filosofa e tem gente que como em um parto, demonstra todos os erros sofríveis do Português.
Um “teaser” de 140 caracteres da vida real, uma bebiba engolida às pressas e sem gelo, um grito dos desesperados. Essas são as minhas definições sobre Twitter.
Não sou dona da verdade, nem ouso e nem quero ser. Sempre gostei da frase: “Duas pessoas, são duas verdades... Na verdade são dois mundos”.
Uma apresentadora do Canal da Gente, sempre lembra a seus FOLLOWERS: “Twitter não é MSN!” Concordo com ela. O Tuíte (palavra já encorporada no Aurélio) é a resposta do “What’s happening?”. Mas o Brasileiro e seu jeitinho, adaptou ele e o transformou em várias variáveis.
Twitter é um grito no silêncio!
“E cada qual no seu canto, em cada canto uma dor...”
E o Facebook está indo pelo mesmo caminho...

Amanhã você entederá o que foi o seu ontem!

Os dias são páginas da vida que nada mais é do que um grande livro.
Cada pessoa nasce para escrever sua história.
Deus nos deu lápis e páginas.
Sei que os dias passam rápidos e se formos olharmos para trás, e principalmente ao redor, vemos o efeito deles.
Um ano para você passa extremamente rápido, por isso não gosto de datas.
Se formos seguir o calendário mercadológico em Junho o Natal é depois de amanhã.
O trabalho te suga. A rotina te sufoca.
E quando você olha em seu redor muita coisa mudou.
De repente você toma um choque.
Escrevemos nossas histórias com o lápis e as páginas que Deus nos deu.
A vida da voltas e quem você tanto dependeu agora depende de você.
O passado te mostra o que você deveria ter feito.
Mas se você fez... Era para ser assim.
O presente nada mais é que uma constante visita ao passado e uma grande reflexão para o futuro.
No presente se escreve agora para se ler depois.
É impossível acharmos contexto no presente.
Tudo é uma grande dedução
Na verdade a vida é um grande mar.
E cada dia se resume a uma página, um lápis e uma garrafa.
Você pega o lápis e escreve.
Enrola o papel e coloca dentro da garrafa e arremessa ao mar.
Um dia você ou alguém vai ler seu dia.
No futuro você entenderá o que foi o seu presente.