Nunca quis ser perfeita.
Longe de mim, fique a postura de menininha tocadora de piano.
Junto com a convenção social cega e os moldes que de tão perfeitos estragam.
Cada vez mais quero ser imperfeita.
Cada vez mais quero me encontrar.
Se os olhos do mundo me olham torto.
No espelho enxergo os meus olhando minh'alma.
Se as palavras e murmúrios atingem minhas costas.
Cada vez mais ergo a cabeça e olho para frente.
Olhos nos olhos me interessam bastante.
É na pupila dilatada que conhecemos os homens e as mulheres.
Nunca fui Maria...
Nunca fui com ninguém onde não quis.
Não é que nunca tenha errado.
Apenas escolhi errar.
O erro é o maior acerto que fizemos.
Não quero tapas nas costas, nem piedade...
Pouco me interessa na verdade o que você pensa.
Minha luta é comigo mesmo.
Pouco me interessa se me taxam de azul, branco ou amarelo.
Se sou zarolha ou banguela.
Mas para maiores informações, não sou zarolha nem banguela. Sofro de miopia e uso aparelho!
A coisa mais valiosa que tenho é minha inquietude.
Essa sim é minha verdade.

Nenhum comentário: