A evolução do ser humano

Eu acredito na evolução do ser humano; é lenta, eu sei; mas eu acredito nela. Não há como negar essa evolução, ou talvez haja; mas, por enquanto, isso não importa. A verdade é que vamos aprendendo com os erros dos antepassados. Uns aprendem mais, outros, menos. E assim vamos, e assim segue a marcha evolutiva, sempre em frente. Há os que vão naturalmente contra, os perdidos, os rebeldes, mas a multidão se encarrega de pô-los no caminho novamente, mesmo que à força, e se resistirem, morrem pisoteados.Hoje estamos numa parte do caminho em que não mais é aceita a escravidão, a intolerância, embora haja muita exploração e preconceito entre nós. O importante é que a maioria abomina esse tipo de coisa, e se ainda hoje o há, é, graças a Deus, coisa fácil de ser identificada como má. E isso já é muito. Há pouco tempo se queimava homossexuais em fogueiras, e a multidão adorava, reunia-se para ver o herege morrer. Evoluímos, é evidente. Hoje é melhor que ontem. Porém, este copo de cerveja em minhas mãos diz que, apesar de toda essa marcha progressiva, o hábito de beber será um dos últimos a abandonarmos, infelizmente. Mas voltemos ao assunto.Como falava, eu acredito na evolução. Então é desnecessário lhes dizer que — assim como ontem se precisava de leis duríssimas para organizar-se a sociedade — com o passar do tempo, e de acordo com o aprendizado do homem, hoje as leis são, por assim dizer, mais frouxas, mais brandas. Ora, quem aqui prefere ter vivido no Egito Antigo como escravo a ser auxiliar de produção nos dias de hoje numa multinacional? Eu não trocaria minha liberdade de expressão por um fuzilamento nos tempos do comunismo. '

Nenhum comentário: