A Mulher Pisciana

De delicada sensibilidade , graciosa e quase etérica, sonhadora e profunda em suas reflexões, parece viver fora da realidade e que não lhe importa o mundo ao seu redor. Porém, pode se suceder que Peixes dê, também, no aspecto físico, um tipo distinto e oposto em sua expressão.

Júpiter e Netuno, ambos regentes ao seu modo, cada um deles aporta do pisciano suas qualidades e defeitos. Júpiter é benevolente, extrovertido, exuberante, justo e alegre. Netuno, oitava superior de Mercúrio, geralmente dá seus aspectos negativos, pois os positivos os recebem uma Alma muito superior; então, vamos achá -Ia muito sensual, fácil às tentações, indolente e pouco dada aos cuidados pessoais. Não se pode generalizar isso: ainda que de modo corrente essas duas tendências se equilibrem, pode só predominar em especial uma delas. A maturidade que pode alcançar é profunda, mas com grande sentido de sacrifício.

Susceptível como o Mar aos movimentos da Lua, pode cair em estados de forte depressão. Em seu lar, assim como em sua própria personalidade, mostrará "um dos dois peixes": ou o ordenado, sério, delicado e limpo, ou o outro, que é totalmente o inverso. Sendo um pouco débil, é necessitada de compreensão; e pode se sublimar com as manifestações da Arte.

Muito idealista no amor, pode de pronto passar grande parte de sua vida buscando a seu companheiro, o de seus sonhos, resultando assim um tanto "donjuanesca".

Fortemente sensual, pode se voltar para um exclusivismo egoista; porém, em momentos difíceis, impera sua generosidade, com a qual envolve por completo a seu companheiro. Pode ser duro, mas não injusto; precisa ser aceito para não se sentir abandonado. Como não consegue aguentar a rudeza e o esquecimento, pode se casar mais de uma vez. Tem uma alma de músico, escritor, poeta e de todas facetas estéticas.

Pode sonhar com dor e sofrimento porque tem um espírito muito humanitário, mas o amor não fica de lado. Os sonhos premonitórios também marcam presença, já que a sua mediunidade costuma ser muito acentuada.

Último signo do Zodíaco, Peixes também é o último da série dos signos mutáveis, aquele que dispersa e distribui tudo o que todos os signos anteriores construíram e criaram no ciclo de manifestação. Assim como ele se dedica ao entendimento geral de tudo, porque sabe que tudo tem um fim, também sabe que está na fronteira de dois mundos. Um mundo que termina, outro que deve começar dentro em pouco. Nesse limiar, Peixes permanece, sentindo e pressentindo o que ainda virá, e o que já foi, tentando ensinar ao mundo a lição de todos somos partes de um mesmo organismo, que não há separação.

No mar de emoções instáveis como o oceano, governado por Peixes, está este signo que acompanha todos os que estão se despedindo de um ciclo, daí sua relação com os internatos, os que saíram do convívio humano, aspirando uma ordem ainda invisível. Os hospitais, onde muitos passam de um plano para outro, também é o lugar relacionado com peixes, assim como os portos, onde se vê ao longe a possibilidade de um mundo que se desconhece, mas que se pressente.

Peixes representa o conseqüente escapismo, a fuga do mundo, o devaneio e o ar vago, a modéstia e um certo ar de vítima do mundo que às vezes exibe. Com a enorme empatia que sente pelos desfavorecidos, Peixes quer a justiça, mas a divina, pois "seu reino não deste mundo" e ele entra pela porta dos fundos em todas as situações, mas acaba sempre dando seu recado, porque o céu fala por sua boca.

Assim é Peixes, que às vezes é saltimbanco na vida, sem saber muito bem como anda e para onde vai, sempre seguindo com fé sua intuição e sua sensibilidade artística, principalmente musical. Peixes vê com os olhos amplos, fixos no horizonte e pouco lhe interessam os detalhes. "Navegar é preciso" é um lema deste signo, lítico, incompreendido, sentimental ao extremo, capaz das maiores loucuras e das maiores provas de compaixão humana. Almeja o transcendente, como Sagitário ou Escorpião, mas à sua especial maneira – sem fazer alarde, sem querer convencer ninguém, mas com uma força de alma que é conhecido pela sua "reza forte", que cai como uma bênção nas almas aflitas.

Adeptas irresistíveis da moda, são experts em criar climas e efeitos sedutoramente mágicos com seus trajes. Camaleoas, mutáveis, irresistíveis, a cada nova roupa, uma nova mulher. Supersticiosas, não usam preto na sexta-feira e só entram o ano com a cor recomendada ... desde que seja branco.


Um comentário:

Pietro disse...

E eu que nao acredito em signo.Tem tudo a ver com vc.Acho q vou rever meus conceitos hauhauah...

Te adoro pimenta