Gravidade

Algo sempre me traz de volta a ele e isso não demora muito.
Não importa o que eu diga ou faça, ainda sinto tudo até o momento que me afasto.
Ele me segura sem me tocar e me prende sem correntes.
Eu nunca quis tanto algo quanto afundar nele e não sentir uma gota de chuva ou sentir a água do oceano.
Gostaria que me libertasse, que me deixasse ser.
Gostaria de não cair sempre nessa gravidade
Aqui estou eu, tão erguida e confiante, exatamente como deveria estar (ou penso estar)
Mas a verdade é que ele está em mim e por toda parte de mim, e até no meu cheiro ele está.
Seria eu uma pessoa frágil pensando ser forte?
Talvez isso seja um meio de dissipar tudo o que me faz sentir.
Mas se ele me toca, se ele me olha fixamente por um pequeno instante, se ele me faz um carinho... Toda a minha força frágil se vai em fração de segundos.
Ele não é aliado e nem inimigo, mas eu simplesmente não consigo deixa-lo ir, ou me deixo ir.
A única coisa que ainda sei é que ele me deixa pra baixo grande parte das vezes.
O fato de nunca ser boa o suficiente para agradá-lo me corrói o estômago feito úlcera.
Um amor e um ódio.
Uma paixão e uma loucura.
Um bem e um mal.
É... ele está em mim e por toda a parte de mim.